Restart? Pra mim é Game Over.

E o VMB 2010 passou. Como esperado, foi uma grande, fedida, encaroçada e deprimente montanha de merda.
Os apresentadores (salvo o Adnet) foram fracos, os vencedores foram bizarros e os shows foram tão emocionantes quanto tomar um copo d'água da pia.
E o mais bizarro, o Restart ganhou absolutamente TUDO. É, aquela bandinha que você ouviu tocar ONTEM na MIX FM ou que a sua prima de 13 anos vive ouvindo no MP4 dela superou bandas como Skank ou até mesmo Pitty, a princesinha do rock (sic).

Pensando nisso, fiquei puto. Puto não com o Restart, mas com os teenagers atuais serem tão substanciais quanto pastel de vento sem massa.





Antes de mais nada, farei você se sentir velho.

Não vou nem falar que você não sabe dirigir e é desempregado, ok?

De volta à nossa programação normal.

Há um tempo atrás, estive entre uns devaneios da madrugada com minha pequena grande amiga @ollazc falando sobre como a moda hoje em dia é ESCROTA. Falei de Crepúsculo e seus malditos vampiros porpurinados, das músicas bizonhas que estupram nossos ouvidos a torto e a direito e sobre as atitudes fúteis das cocotas e lesks que strondam mundo afora achando que estão ahazando.

Minha amiga, como quase toda mulher que eu conheço, discordou violentamente de mim. Ela disse que as modas sempre foram assim, onde as pessoas mais velhas e "fora da onda, brôu" consideravam todos os seguidores da moda como seres inferiores dignos de pena e misericórdia eterna. E disse até mais! Disse que todas as modas SEMPRE foram ridículas.

Odeio admitir, mas como quase toda mulher que eu conheço, ela tinha razão. Dei o braço a torcer e voltamos a falar de como o gato dela é mijão e feio.

Mas hoje o assunto voltou pra minha cabeça e eu vi que não é bem assim que as coisas realmente são. As modas podem ser ridículas sim, mas quando fazemos um comparativo entre elas, podemos ver qual é mais humilhante e, aí sim, ver qual passado é condenável. 

Para isso... VAMOS VOLTAR NO TEMPO!

Década de 90, nossa década... Que época boa, né? Nossa maior preocupação era chegar em casa a tempo de assistir Disney Cruj. "Marsupilami vem correndo pela selva" veio pra sua cabeça, aposto. Claro que nós tinhamos nossas responsabilidades também, ou quem você acha que ia cuidar do nosso Tamagotchi? Não era fácil, mas entre uma partida de Super Nintendo ou depois de um belo Push Pop a gente arrumava um tempinho. Isso, claro, se não fosse domingo à noite. Assistir Sai de Baixo era obrigação.

As maiores modas eram Sandy e Jr. para os mais novinhos, enquando entre os adolescentes o negócio era Backstreet Boys ou Spice Girls. Claro que os Mamonas sempre serão eternos, mas não adianta. Se numa festa tocasse É o Tchan ninguém ficava parado. O axé vigorava, mas demorei muito pra entender o que "pau que nasce torto nunca se endireita" significava. "Comer tatu é bom" então, eu jurava que era um puta dum sanduíche. Doce inocência...

As coisas obsoletas hoje em dia eram nosso MUST. Vai dizer que você nunca selecionou a dedo as 20 musicas que cabem num CD para ouvir no seu diskman? Ou que a Playboy não era o auge do erotismo? E os Vídeos Cassetes, que eram enormes em comparação com os DVD's? Foda mesmo era ter que ficar até depois de meia noite acordado pra usar a internet discada. Pelo menos dava pra ficar trollando no bate papo da UOL.

E ai de quem falar que BEN10 é melhor que Pokémon, ou que Rebelde supera Power Rangers. Essa pessoa merece ser execrada e ter todos os seus Tazos queimados.

Eu lembro o nome de todos esses. E você?


Os brinquedos eram fodas. Até hoje eu sou meio recalcado porque nunca tive um patinete e os bonecos dos Cavaleiros do Zodíaco eram o típico "brinquedo do amigo rico": para nós, pessoas populares, sobravam os importados do Paraguai que as peças não encaixavam direito. E para as amigas ricas, eram as maquininhas da Eliana: As garotas viviam fazendo chiclete, sorvete, pintando a unha e o caralho a quatro com essas maquininhas malditas.

E as emoções constantes da nossa turminha da pesada? Era ótima a sensação ao tocar a campainha daquela vizinha chata (aquela que nunca devolvia a bola dente de leite que caia na casa dela) e sair correndo depois. A sensação de chegar perto de Deus ao puxar o Super Trunfo e deixar seus amigos com cara de bunda era formidável. Mas, ainda assim, a melhor de todas as aventuras era dar um rolê pela rua no dia de São Cosme e Damião e pegar milhares de sacos de doce que a gente nem comia. Só servia pra ocupar espaço na geladeira  do lado daquele pote de sorvete que na verdade era feijão.

Uma época formidável, indeed.

Agora vamos voltar para o presente.

A época onde as mães vestem as crianças com roupas de adulto. A época onde nas praças você não vê ninguém com mais de 6 anos porque brincar no balanço é coisa de criança. A época onde perder o BV não é relevante, mas sim perder o cabaço. A época onde o que conta não é falar com seus poucos melhores amigos a noite toda no ICQ, mas sim ter milhares de amigos no "ôrkuti" ou followers no "tuíter".

Atualmente a caralhada de informação facilmente obtida torna as cabecinhas desses pseudopréadolescentes numa coisa muito engraçada de se observar. Elas se acham hiper adultas, mas choram vendo Edward tirando a camisa ou com o Justin Bieber falando "LOVE YOU GUYS LOL" (sim, eu sei que antigamente as garotas escreviam cartas de 1 km para o Bon Jovi e coisas do tipo, mas esses caras mereciam porque tinham talento) e eles realmente se acham fodas por "pegarem mais mulé" que muita gente tendo apenas 11 anos.

Oi? Com onze anos eu brincava de lego e nem sabia como as pessoas se masturbavam. Não, eu não era um merda. Eu era normal.

Valores tão deturpados em relação ao que a gente foi criado às vezes fazem a gente parecer uns velhos reacionários. Ou você realmente se imaginava falando "NA MINHA ÉPOCA NÃO ERA ASSIM" com menos de 20 anos? Isso era coisa que seu avô falava quando você comia doce antes do jantar ou ia direto pra piscina depois do almoço (tinha que descansar o estômago antes de entrar na água).

Agora, essa geração precoce venera gente desse tipo:

(Paquita + aeromoça + guache e porpurina) - testosterona²

É. Eu sinto saudades de quando colorido era BREGA e sertanejo era CAFONA. Tipo, em 2008, quando a moda era ser emo, gótico, se vestir de preto, odiar todo mundo e ser bissexual. Ah, esqueci que essa última parte ainda continua.

A intenção desse post não foi fazer um comentário à lá Felipe Neto esculachando a geração atual. Eles não merecem isso porque a maturidade sempre chega, nem que demore muuuuito. E quando ela chegar, pode ter certeza que vai ser uma enxurrada de auto vergonha;

A intenção foi fazer você refletir e pensar se você realmente viveu bem sua época. Se você aproveitou tanto as partes boas quanto as ruins e, ao menos hoje em dia, você consegue olhar pra trás e ver que a nostalgia que você sentiu lendo esse texto foi realmente merecida ou se as nossas modas realmente eram tão escrotas como as de hoje em dia. As roupas eram feias? Claro, mas as roupas sempre são feias se voltarmos 10 anos. Estou falando de atitudes, de valores, de pensamentos coletivos! Você acha que hoje em dia o que é valorizado realmente é o importante? Você acha que aproveitar a infância hoje em dia é importante como era, ou o mais importante é logo virar um adultinho?

Dêem suas opiniões sem medo de ser feliz.

Porque vocês sabem, essa não é mais a geração Sexo, Drogas e Rock'n'roll. É a geração Punheta, Smirnoff Ice e Restart.

***

Ninguém reparou, mas eu coloquei lá em cima umas páginas novas. "Sobre o Blog" e  "Contato", nomes auto explicativos. Se quiserem dar uma olhada e dizer o que acharam, ótimo. Opinar para novas páginas é bom também :)

Além disso, agora você pode fazer a "opinião rápida" da postagem. É só clicar em "foda" "engraçado" e sei lá mais o que nos quadradinhos no pé do texto. Caso esteja com preguiça de comentar, é uma boa '-'

Por último, agora você pode me ajudar a dominar o mundo espalhando minhas postagens com o botão de COMPARTILHAR que eu coloquei! Clique na sua rede social e mande as postagens para fazer seus amiguinhos rirem um pouquinho.

Ehg - Espalhando alegria por aí.
Próximo
« Anterior
Anterior
Próximo »

18 comentários

Write comentários
@ollazc
AUTHOR
21 de setembro de 2010 18:16 delete

É ehg... a pequena grande amiga te dá razão em uma coisa: O tempo entre as gerações parece que está encurtando muito.
Não sei se isso é bom ou ruim, mas tenho que concordar que assusta.
Ótimo texto! :)

ps: meu gato não é mijão! ahhaha

Reply
avatar
ehg
AUTHOR
21 de setembro de 2010 20:15 delete

É o gato mais mijão DO MUNDOOO!!!!

Reply
avatar
damian
AUTHOR
21 de setembro de 2010 22:19 delete

eu gosto de restart =(

Reply
avatar
Pedreira
AUTHOR
21 de setembro de 2010 23:33 delete

Damian.
Vergonha alheia por você '-'

Reply
avatar
Zélia
AUTHOR
22 de setembro de 2010 11:41 delete

nostalgia aos 20 anos? nossa, que dirá da minha geração...

Reply
avatar
alice
AUTHOR
22 de setembro de 2010 22:57 delete

o q mais me impressiona nessa galerinha é a necessidade de auto-promoção. vide "olha-quantos-amigos-eu-tenho" no orkut e "olha-como-a-minha-vida-social-é-agitada" no twitter. sério, é meio doentio. claro q todo adolescente quer ser aceito pelos coleguinhas, mas isso tá ficando meio demais. e sim, provavelmente somos só uns velhos nostálgicos com mania de "no meu tempo não era assim", talvez nada disso q a gente tá dizendo faça sentido, talvez adolescentes sejam sempre adolescentes. =)

dito isso...

amei o texto e a discussão proposta. amei a nostalgia. =)

Reply
avatar
Natália
AUTHOR
23 de setembro de 2010 01:32 delete

Eu tinha maquininhas da Eliana, mas elas eram chatas pacaralho. Preferia aqueles power rangers que mudavam a cabeça!! Tinha todos! Mas até hoje lembro minha felicidade quando ganhei o Baby da família dinossauro, grande, gigante pra mim, e de braços abertos! Não perdoei minha mãe até hoje pq ela simplismente DEU o meu Baby tão lindo pra seiláquem.
Saudade né. Toda vez que chega 27/09 nesses últimos (alguns) anos, me bate aquela depressão parecidíssima com a típica de todo domingo, pq eu ñ vou ganhar nenhum bambolê, nenhum coco-de-rato, nenhum ínfimo suspiro, nem aquelas geleiazinhas escrotas. Um nada!
Vô dormir agora, pq amanhã a tia de Estudos Sociais disse que é recreação na escola junto com a 4a série D (pq eu sou da E), e pode ir sem uniforme! Vo levar meu discman com CD da Spice Girls que eu comprei na Arapuã * :-) *
#FAIL

Reply
avatar
Maíra Mello
AUTHOR
23 de setembro de 2010 13:50 delete

Ahá, eu tive um patinete... E uma maquininha da Eliana de fazer chocolate (que nunca deu certo).

Como todos que leram e viveram a década de 90, fui tomada por uma grande nostalgia. Poderia ainda ficar horas lembrando de outras coisas: ioiô da coca-cola, álbuns de figurinhas, diários (pras meninas), Black Kamen Ride, Sakura Card Captor...

Realmente, por mais clichê que seja, as crianças de hoje não são como as de antigamente. Mas, com certeza, quem viveu a década de 80 pensou a mesma coisa da geração de 90. O mundo está em fase de mudança e a gente não pode fazer nada, só aceitar.

Não sei o quanto essa modinha das calças coloridas durará. O que posso dizer, é que analisando outras modinhas, como a dos emos por exemplo, ela acabará um dia. Não sei o que virá depois. Pelo menos durmo tranquila por ter aproveitado a minha infância o máximo possível.

Reply
avatar
Erosexy
AUTHOR
23 de setembro de 2010 21:39 delete

Eu concordo, esse mundo 2.0 em que vivemos está acabando com essas gerações

Penso na época em que jogar bola de gude e soltar pião era tão divertida ^^

Enfim, o que importa são as memórias, se a geração atual está de fato tão distorcida, cabe a nós, os não-distorcidos ainda,fazer algo a respeito, ainda que seja pouco, um passo de cada vez n_n

Reply
avatar
23 de setembro de 2010 22:13 delete

CARALHO, acho que foi seu melhor post. Enfim, foda mesmo, por isso eu tolero essa geração nova ( como se eu fosse tão old rs).

Reply
avatar
Leticia
AUTHOR
24 de setembro de 2010 10:32 delete

gente, mas todo adolescente em qualquer epoca tem necessidade de se auto promover... e acho que a gte nao tem como dizer que os valores tao deturpados, isso e muito relativo. provavelmente a gte so ta lembrando das coisas boas, por nostalgia mesmo. afinal, se por um lado as relacoes eram mais pessoais e as criancas eram realmente criancas, por outro lado a liberdade de expressao era menor, e o preconceito maior, por exemplo.

Reply
avatar
Danielle Lima
AUTHOR
1 de outubro de 2010 22:51 delete

Poxa, eu nunca li nada no wordpad e não sabia que a revistinha da Turma da Mônica poderia derturpar tanto uma pessoinha assim...Vou deixar meu filho longte dela!
Ah, sim...a foto da careta é otemaaaa! Se quiser, podemos reproduzir atualmente!

Beijo!

Reply
avatar
Anônimo
AUTHOR
19 de outubro de 2010 13:50 delete

Porra cara eu tenho 13 anos não gosto de reestart(sl como se escreve essa merda), eu tinha maquininha de sorvete da eliana, eu brincava de lego... e tenho 13 anos. Nem sempre as pessoas que tem 13 anos são bobas, idiotas, infantis, lezadas... e sem mais definições! Mas as vezes podem ter uma cabeça evoluida como de uma pessoa de 19, 20, 21... anos(sendo desempregado(a) ou não, dirigindo ou não)! Egh adoreeei seu texto, muuuuito bom msm, parabens voce escreve mt bem, mas eu acho que voce deveria colocar um PS nos seus textos avisando que nem todas as meninas ou meninos de 13 anos sao assim!
A, e sim eu gosto de Mamonas... :D
Beijooooooooos

Reply
avatar
ehg
AUTHOR
19 de outubro de 2010 18:55 delete

Nunca falei que eram todos cabeça oca, meu xuxu.

Isso é implicito, eu só critiquei aquela pequena fatia dos mongolóides '-'

:*

Reply
avatar
Anônimo
AUTHOR
19 de outubro de 2010 19:39 delete

Ata, desculpa então...rs

Reply
avatar
cydinha e larissa e thauanne
AUTHOR
6 de fevereiro de 2011 16:03 delete

restart è 10 restart è 1.000 restart è o melhor fan do BRASIL .........

Reply
avatar
dééébora
AUTHOR
13 de fevereiro de 2011 18:01 delete

concordo! mas gosto de felipe neto e ice! ahahah

Reply
avatar

Comente sem anarquizar, por favor. Aqui não é casa da mãe Joana. EmoticonEmoticon