O dia em que trollei a velhinha

Eu tenho uma teoria que considero muito válida e digna.

Pense num indivíduo qualquer, e que dia após dia acontece com esse indivíduo uma situação que ele não SUPORTA. E pior, não pode sequer reclamar por causa das regras morais de nossa sociedade cujas bases são fundidas nos princípios da igreja católica apostólica romana (Duvida? Pegue uma nota de dois reais e procure um "DEUS SEJA LOUVADO" nela).

Eu acho que esse cara pode explodir um dia. Mas é claro, com muita classe.

Claro que esse cara sou eu. E claro que a situação você vai ler AGORA!

É o seguinte, manolos e manolas. Todo dia eu acordava super feliz às cinco da manhã para me arrumar e ir pro colégio. Minha rotina era tranquila, um banho frio esperto, uma vitamina de banana com aveia sem açúcar e mal-batida que era uma delícia, eu andava 15 minutos com a lua no céu até o ponto de ônibus, onde ficava durante uma hora e meia até chegar no colégio. Ah... Bons tempos que não voltam mais.

Brinks. Minha vida era uma merda no ensino médio. Mas eu me acostumei com a rotina. As coisas ruins aconteciam sempre quando eu entrava no ônibus.

Não sei por que DIABOS o estudante é visto como um parasita do sistema rodoviário. Todos olham com uma cara de inveja/inconformismo para qualquer estudante assim que ele passa o cartão de gratuidade na roleta porque a imagem do estudante não e associada a um jovem que será o futuro do país. No inconsciente coletivo dos passageiros de transportes urbanos, o estudante vai pra escola pra comer merenda ou usar um micro vestido rosa e virar subcelebridade. Oh wait, isso é só na faculdade.

E, justamente por isso, o estudante sempre tem que dar lugar para qualquer outra pessoa digna de gratuidade. Eu acho isso lindo. Acho um ato de cidadania tremendo, pois um jovem deve sempre dar lugar à qualquer outra pessoa que precise de mais conforto.

O que eu acho errado é quando o estudante não está sentado no assento preferencial ser obrigado a dar o lugar, enquanto tem uns CORNOS perfeitamente SAUDÁVEIS sentados no assento preferencial olhando a cena e ainda por cima gritando pro estudante levantar como se fossem SEMIDEUSES dotados de superpoderes que os tornam pessoas mais especiais que o resto do universo simplesmente por serem babacas!

NÃO FAZ PARTE DO GRUPO? ENTÃO LEVANT.. Mas que diabos?!

Isso acontecia comigo frequentemente. Mas eu não ficava muito incomodado com os cornos sentados nos assentos preferenciais, por incrível que pareça.

Eu me irritava com as velhinhas. Sério.

Pense comigo: o que uma velhinha vai fazer de tão importante pegando um ônibus as cinco e meia da manhã? Comprar pão? Comprar leite de rosas? Pagar uma CONTA (velho acha que caixa eletrônico é fliperama)? DAR UM PASSEIO? Pelamordedeus, tia... Faz isso fora da hora do rush porque o ônibus fica mais vazio! Você querer andar de ônibus a essa hora para fazer futilidades e supor que tem mais direito que um estudante, que vai ficar o dia todo estudando, a um lugar na janela é feio. Isso sim que é falta de amor ao próximo. Falta de cidadania. Falta de HUMANIDADE!

E tenho dito isso tudo, sem fazer nenhum drama,  contarei quando eu perdi a paciência.

Estava saindo do colégio com meus amigos para irmos estudar na casa de um deles. Isso foi na oitava série. Pegamos um ônibus LOTADO rumo ao Largo do Machado, e tudo estava indo bem. Até o momento que um lugar ficou vazio, e eu marotamente me esgueirei para sentar. Mas algo estranho aconteceu.

Eu sentei numa BOLSA. Durante 1,2 segundo, fiquei em choque tentando entender de onde apareceu aquela bolsa num lugar vazio. Mas o cheiro de rosas proveniente de tal artefato denunciou que ela pertencia à uma velha. De repente entendi a situação toda:

Uma velhinha, malandra que era, viu o lugar sendo vago e um estudante sentando nele. Então, rápida como um raio, forte como mil homens, a velhinha ARREMESSOU a bolsa no banco a fim de GUARDAR LUGAR.

E conseguiu. Após ver que eu sentei na bolsa, ela chegou para mim e disse:

- Você vai me deixar sentar, né meu jovem?

Claro que para mim soou algo como:
RIARIARIAR FOI NA ROÇA PERDEU A CARROÇA, MANOW

Sobre o olhar fugaz do ônibus inteiro, assenti com a cabeça. A velhinha se sentou, eu fiquei em pé e a dinossaura sequer se ofereceu para segurar minha mochila.

E ela ficou falando a viagem toda. Falando sobre as plantas dela, de como o gato dela era lindo e que o filho dela tava na marinha. Ela enunciou todas as futilidades da velha guarda, até uma hora que ela disse a frase que transbordou o copo da minha paciência.

- Muito obrigada pelo lugar, meu filho... Sabe... É que eu estou muuuuuuuuuuuito cansada!

Choquei. Nesse momento, veio à tona todas as vezes que cedi lugar sem estar no assento preferencial por puro moralismo, todas as guardachuvadas que levei para acordar e levantar para uma velhinha que não ia fazer nada o dia todo mas queria porque queria pegar ônibus com todas as pessoas que iam estudar/trabalhar e ainda assim se sentiam no direito de sentar onde quisessem. De repente eu percebi que fui trollado durante anos pelas velhinhas.

Tinha chegado a hora de dar o troco.

- De nada moça, mas eu também estou muito cansado. Sabe como é né, hoje eu acordei 4 da manhã para poder chegar na hora na escola. 

- Ah... Mas por que você acordou tão cedo, rapaz? 

- É que eu moro em Magé, muito longe de onde eu estudo. E como hoje eu tinha prova, só consegui dormir de madrugada... Mas não tem problema, eu faço isso tudo porque eu quero dar um futuro melhor para os meus pais.

- Nossa... Mas você mora em Magé e estuda no Centro da cidade?! - Surpreendeu-se a velhinha

"Isso, sua coroca... Continua e morder a isca... Sinta-se culpada... Esse é o primeiro passo, a semente está plantada, agora você vai ver como existem pessoas que merecem esse lugar muito mais que você... Você hoje vai ver uma pessoa muito ruim no espelho, moça, ah se vai... MUAHAHAHAHAH" - Pensou meu lado maléfico da consciencia.

- Moro sim, moça. Mas vale a pena estudar tão longe, meu colégio é um dos melhores do país. Valeu a pena ter dormido apenas duas horas nessa noite, acho que fui bem na prova que eu tive... Fiquei exausto, mas valeu a pena pelo meu futuro...

- É.. é, eu sei... Todo mundo tem uma vida corrida, né? Mas veja bem, eu sou idosa... Hoje tive que ir ao banco... - Respondeu a velhinha, contando essa super novidade.

Mas ela não contava com o que vinha a seguir.

- Eu sei né moça, mas o bichinho também é gente né? - Falou uma mulher do lado da idosa

Não consegui conter meu sorriso malévolo. Ele queria dizer algo como "ISSOOO!! ISSOOO!! AGORA MEU PLANO ESTÁ REALMENTE INDO PARA ONDE EU QUERIA!!! AGORA, MINHA SENHORA... VOCÊ VAI VER COMO É FEIO PEGAR O LUGAR ONDE NÃO É ASSENTO PREFERENCIAL, VOCÊ VAI LEVAR UMA LIÇÃO PARA A VIDA TOOODAAA MUAHAHAHAHAH!!!".

Consegui conter a crueldade que crescia dentro de mim, e com humildade prossegui com a conversa.

- Não moça, que isso! Ela é idosa, ela tem que sentar mesmo - Censurei a mulher que apareceu na conversa

- Pois é... Eu já tenho sessenta e dois anos! - Disse a velhinha, com a cara cheia de orgulho

- Mas confesso, senhora... Eu estou mesmo muito cansado - Respondi para a velhinha, tentando tirar ela de cena.

De repente, aconteceu o que eu queria. Todos do ônibus começaram a se manifestar ou a prestar atenção em nós.

- Como assim, rapaz? Você é um exemplo de vida! Você que tinha que estar sentado! - Disse alguém atrás da mulher

- É isso aí! Você tá aí, depois de um dia de provas, indo estudar ainda mais! Tá de parabéns!! - Falou uma pessoa que eu não sabia de onde era

- Por que ela não foi pro assento preferencial? Eu vi que o jovem ia sentar aí antes dela! - Falou a mulher do lado da velhinha

Ah, a apoteose concedida à mim neste momento valeu tanto, mas tanto, que se eu soubesse que esse dia chegaria eu não teria fingido que continuei dormindo após ter levado tantas guardachuvadas de velhinhas. Eu teria levantado por puro prazer, para esperar o dia da minha ...VENDETTA!

- Gente, que isso! Eu sou jovem ainda, para mim não tem problema dar lugar para ela não... Mas senhora, eu também acho que você poderia ter pedido com mais educação o lugar ao invés de ter tacado uma bolsa...

- OU PODERIA TER SENTADO EM OUTRO LUGAR! - Me interrompeu a mulher do lado da velha.

- Pois é! Ela acha que o jovem não pode ficar cansado?! - Disse a moça atrás dela

- Não..! Eu acho... Quer dizer... O jovem... Ele pode ficar cansado sim... Eu só... Sentei... Herm... - A velhinha comentou, completamente atordoada.

- Mesmo assim, gente. Ela já está sentada, deixa ela aí... Eu já vou descer mesmo, não tem problema. Acho que hoje a senhora viu que existem pessoas jovens que também se cansam, né? Ha ha ha! - Tentei ser o mais simpático possível falando isso.

Eu ia realmente descer, mas estava me agradando tanto com a cena que queria ficar até o ponto final. O ônibus fazia um burburinho concordando comigo, as moças atrás da velhinha estavam indignadas e a velhinha não sabia o que fazer.

Então, ela cedeu. Cedeu e disse o que eu queria ouvir desde sempre.

Ela me puxou pela mão, olhou para mim nos olhos e com real arrependimento disse para mim:

- Rapaz... Se eu soubesse como é sua vida... Eu não teria pego o seu lugar... Você parece que tá cansado mesmo, então... Me desculpa... Eu vou me levantar...

Acho que nem o mais doce dos méis, a mais pura das ambrosias ou a mais fresca bala juquinha consegue reproduzir o sabor que eu senti nesse momento. O sabor da VITÓRIA.

Mas é claro que eu não sou um filho-da-puta, né? Não ia sentar no lugar da velha só para meu bel prazer vingativo, sádico e cruel. Já estava satisfeito com ela propondo isso, MUAHAHAHA!!!

- Minha senhora, pode continuar sentada... Não tem problema, você não sabia se eu estava cansado mesmo... Mas espero que na próxima vez você considere que todo mundo tem direito a sentar aí, né? O seu lugar exclusivo, que é só seu mesmo, tá lá na frente... Aqui eu te dei meu lugar por cidadania, lá as pessoas realmente tem que te dar o lugar. 

- Mas do jeito que você é um bom rapaz, claro que deu o lugar pra ela! - Falou a mulher do lado dela

- Pois é! Tá de parabéns!!! 

- Estudioso e educado!!! - Disseram pessoas que nem prestei atenção

Então, desci do ônibus. Desci com um sorrisão no rosto e com a sensação de dever CUMPRIDO. Matei meus amigos de vergonha, mas ensinei uma lição que a velhinha nunca mais vai esquecer. 

Para nunca mais trollar alguém, só depois de ser trolado por outrém.
Próximo
« Anterior
Anterior
Próximo »

15 comentários

Write comentários
Paloma
AUTHOR
23 de novembro de 2010 14:49 delete

uahsuhaush...
Bem feito pra velhinha!!!!
Adoreeei, EUGENIO!
Beijooooooos;**

Reply
avatar
Rachel
AUTHOR
23 de novembro de 2010 16:15 delete

Já passei por isso fiquei em pé do méier até Ramos as 7:30 da manhã pq a velha que eu cedi lugar ia fazer compras no MUNDIAL :@

Reply
avatar
Cumpadi Marcelo
AUTHOR
23 de novembro de 2010 22:10 delete

Esse velhos são foda...
Adoram sair cedo de casa para serem os primeiros a chegar no banco e ficar o resto do dia com mais tempo para não fazer nada...
Teu avô Tatú é quem ta certo, só sai depois das dez, depois de curtir uma boa ressaquinha.
rsrsrs

Reply
avatar
Danielle Lima
AUTHOR
24 de novembro de 2010 10:43 delete

Cada dia vc me aparece com uma história diferente...PQP! Não pára nunca....História sem fim!

Reply
avatar
Juliana
AUTHOR
24 de novembro de 2010 18:17 delete

Meu Pestee
adoreii..rs
nunca tinha m contado isso..m surpreendi,,
fiquei imaginando sua cara d santo falando com
a velhinha..rrs
bjo

Reply
avatar
Anônimo
AUTHOR
24 de novembro de 2010 20:30 delete

Se você fez aquela cara de cachorro que caiu de caminhão de mudança, com certeza arrancou o arrependimento dessa pobre senhora.
Mas, vá com calma e cuidado, afinal, você está quase organizando um movimento contra as velhinhas dos transportes coletivos.
Bjs

Reply
avatar
alice
AUTHOR
24 de novembro de 2010 23:29 delete

Gente, desculpa, mas eu vou ter q discordar de vcs... no meu modo de ver, todos os assentos são preferenciais pra idosos, gestantes, etc... o fato dos bancos lá da frente terem cores diferentes é só pq não se espera q um idoso tenha q andar até o final do ônibus, considerando a maneira como os motoristas dirigem. Claro, eu tbm morro de raiva de qm senta na cadeira preferencial e não dá lugar pros idosos, e, claro, às vzs eu tbm to morta de cansada e não levanto... mas não pq eu ache q o idoso não tenha direito ou preferência... não importa se o idoso ta indo fazer "futilidades", pq isso tbm é direito dele... qr dizer, todos nós queremos um dia, depois de uma vida inteira de trabalho, nos aposentar e ir fazer nossas "futilidades"... sempre q olhamos um idoso, temos q lembrar q ele tbm já trabalhou mto...

claro q tem mts velhinhos folgados e mal-educados por aí, e provavelmente esse era o caso da velhinha da história, mas cuidado pra isso não virar desculpa pra desrespeito aos velhinhos em geral.

Vou ter q repetir o comentario anterior: "vá com calma e cuidado, afinal, você está quase organizando um movimento contra as velhinhas dos transportes coletivos"

=)

Reply
avatar
ehg
AUTHOR
25 de novembro de 2010 10:53 delete

Organizando um movimento contra velhinhas dos transportes coletivos com um texto sobre uma velhinha folgada? Claro que a intenção nunca foi essa, mas acho válido focar na questão do respeito mútuo.

A grande questao do texto era fazer com que as velhinhas respeitassem as pessoas justamente quanto elas esperam ser respeitadas. Isso, pelo menos eu, raramente vi nos ônibus com uma certa frequência. A educação não é uma obrigação de ninguém, é apenas reflexo dos nossos valores.

Eu acho que é muito mais válido e digno a velhinha, já na frente do ônibus, pedir para alguém no assento preferencial levantar do que se deslocar até o fim e, grosseiramente, pedir ou esperar que outra pessoa mais jovem levante.

Um idoso já trabalhou muito? Claro que sim, e eu acho que tem que dar lugar sempre (vide 8º parágrafo). O que eu detesto é quando pessoas mal educadas e desrespeitosas esperam que você seja educado e respeitoso, com elas ou outras pessoas :)

esclareci?

Reply
avatar
Erosexy
AUTHOR
25 de novembro de 2010 13:20 delete

Esclareceu perfeitamente

E digo... não me importo de ceder o lugar...numa boa, as vezes TO CANSADAÇO e levanto... as vezes EU NEM SENTO já pensando que vai chegar alguém 'que fez mais que eu hj e portanto merece se sentar' justamente pra evitar essas merdas

Mas numa boa, acho que nenhuma outra conversa causaria tal reviravolta, e eu já pensei em muitas formas de não me levantar sem ficar com fama de mal-educado

duhasduhasduhausd Que porra complicada, mas tu mandou bem,amigo ^^

Reply
avatar
Lin
AUTHOR
25 de novembro de 2010 18:58 delete

CARA, eu sou o seu MAIOR FÃ *--*

Reply
avatar
Sabrina
AUTHOR
25 de novembro de 2010 21:41 delete

Ehg tu é horrível. AMEI *---*

Reply
avatar
Pedreira
AUTHOR
26 de novembro de 2010 11:42 delete

Tenho orgulho de você.

Acho que eu, tu e Eduardo Sterblitch podíamos abrir algum tipo de campanha contra velhas na rua antes das 8h da manhã (:

Reply
avatar
2 de dezembro de 2010 13:52 delete

Nossa. Morri de rir. Mesmo. Concordo e Discordo... Acho que todos deveriam dar preferencia aos idosos, mesmo que eles estejam fazendo futilidades, mas acho que essas boas ações devem partir primeiro de quem está errado: os caras que estão sentados no lugar que não deveriam. Também acho que os idosos deveriam ter mais educação, muitas vezes eles abusam do seu "Old-Power". Você fez bem em ter educá-la. Dar a desculpa de que está cansado, todo mundo pode dar... Gostei do blog. Vou dar follow =)

Reply
avatar
Liquinho Rastafari
AUTHOR
7 de dezembro de 2010 01:08 delete

Ah, há alguns mitos que devem cair: mãe infalível, sabedoria dos velhos, etc. Tem velho que é prepotente pra caralho, achando que por passar do 65 anos estão acima do bem e do mal. Devemos ter respeito por eles? sim. Mas tbem discordar dos soberbos. Ou, os mais inteligentes, dar um tapa de luva de pelica como meu amado Ehg!

Reply
avatar
Gabriella
AUTHOR
8 de dezembro de 2010 21:41 delete

Gabo
cada vez vc vem com uma história melhor. rsrsrsrs

Reply
avatar

Comente sem anarquizar, por favor. Aqui não é casa da mãe Joana. EmoticonEmoticon