O dia das cossinhas e zoelhos

Olá meus caros!

Essa história aconteceu quando eu estudava no Pedro II. Lembro que eu saia religiosamente da aula com uma puta fome. Sempre. Todo dia cara, eu podia ter acabado de comer um leitão castrado que eu queria comer de novo só pelo prazer de comer na rua, longe do olhar opressor dos inspetores. Só que tal hábito acabou acarretando em muitas despesas no fim do mês, e eu como bom administrador mirim que sou procurei um lugar barato para poder comer, reduzindo despesas e maximizando lucros.

E achei. No caminho para o ponto de ônibus tinha a lanchonete mais gostosa que eu já comi na minha vida toda. Os salgados eram baratos, o guaraná não tinha gosto de água de chuva e os pombos davam uma decoração granjeira ao ambiente. Somando isso tudo com a simpatia da dona, uma chinesa muito simpática que chamarei de Coreana no decorrer do texto, me tornei cliente assíduo de tal estabelecimento alimentício.
Até que um belo dia eu cheguei na lanchonete e fui atendido pela amável Coreana. Ela abriu um sorriso exibindo mais charme do que dentes e perguntando:

- Vai quelê comê o quê?

É impressionante como os asiáticos são um povo engraçado. Eles conseguem produzir nano chips, medicina de primeira e foguetes atômicos, mas sempre que tentarem falar em português vai soar que nem o Cebolinha.

- Oi Coreana! Hoje eu vou querer comer um joelho – Respondi todo serelepe.

Ah, esqueci de dizer que eu só comia joelho na Coreana. Essa história que a melhor coisa dos Chinas é pastel com caldo de cana é puro mito. Atualmente eles empregam técnicas milenares na preparação do joelho de maneira que a massa dele fica fofinha e o recheio sem muita gordura, coisa impossível de encontrar em lanchonetes brasileiras. Diliça!

Enfim, ela fez uma cara descrente e disse com sua doce voz de veludo:

- Zoelho não tem, só tem cossinha.

Zoelho (e gualaná)

Meu mundo caiu. Eu QUERIA comer um JOELHO, não uma COXINHA. Queria por que queria. Simples assim, não estava apto a mudanças naquele dia. Mas seguindo meus instintos de bom administrador mirim tentei conduzir a conversa para um rumo onde todos sairiam ganhando, numa negociação bilateral com maior número de outputs possível.

- Ah, tudo bem Coreana. Mas deve sair uma nova fornada, certo? Sabe se vai demorar?

- Não tem zoelho, só cossinha – Respondeu da maneira mais natural possível Coreana.

- Ah... Herm, isso eu já sei moça. Eu quero saber se vai sair alguma fornada nova de joelho porque hoje eu não quero comer coxinha.

- Zá disse: Zoelho não tem. Só tem cossinha! – Disse Coreana, começando a me olhar fixamente nos olhos.
Cossinhas

Comecei a ficar nervoso. Se tem uma coisa que me incomoda é a sensação de não estar sendo claro, mas outra coisa que me deixa com bastante agonia é parecer que estão de sacanagem comigo. Porra, tudo bem que a mulher é chinesa, mas ela mora no Brasil a tempo suficiente de entender um pouco de gramática pelo menos a ponto de reconhecer QUE EU TAVA FAZENDO UMA PERGUNTA.

- Tudo bem Coreana, eu entendi que só tem COXXXXXXXXXXINHA e não JJJJJJJJJOELHO. Mas eu quero saber SE VAI SAIR JOELHO! SE VAI FICAR PRONTO ALGUMA HORA, SE VAI TER MAIS!

- NÃO TEM ZOELHO! SÓ TEM COSSINHA! QUE BULO, TÔ FALANDO! - Esbravejou Coreana, assustando todos os pedreiros e estagiários presentes no recinto.

- COREANA, NA MORAL, EU SEI QUE SÓ TEM COXINHA! EU NÃO SOU CEGO! EU TÔ VENDO AQUI NESSA TUA ESTUFA VAGABUNDA CHEIA DE ABELHA QUE A PARTE ESCRITO “JOELHO” TÁ VAZIA E A PARTE ESCRITO “COXINHA” TÁ CHEIA! EU-QUERO-SABER-SE-VAI-FICAR-PRONTO-ALGUMA-HORA-MAIS-JOELHO!

- CALACA, TÔ FALANDO A MEIA HOLA QUE NÃO TEM ZOELHO SÓ COSSINHA! SE NÃO VAI COMER VAI EMBOLA! – Disse Coreana, virando-se para o caixa e fazendo cara de birra.

Filadaputa.

Desisti. Morreu a paciência depois dessa. Todo mundo ficou olhando pra mim como se eu realmente fosse BULO (sic), quando na verdade aquela chinesa que outrora eu adorava e idolatrava não conseguia compreender que no Brasil NÓS FAZEMOS PERGUNTAS E GOSTAMOS DE SER RESPONDIDOS! 

Mas como a fome era negra, cedi. Respirei fundo e falei.

- ... Tá bom, me dá uma coxinha.

- Vai quelê bebê gualaná ou malacuzá? – Perguntou o demônio chinês com aquela educação que as pessoas só conseguem ter quando vão tirar dinheiro de alguém.

- MaRRRacuJJJá, por favor. Sem gelo. Senhora.

Sem sacanagem, eu dei a primeira mordida na coxinha quando surge da cozinha um tio chinês (que eu carinhosamente chamarei de Japa) carregando um tabuleiro.

Ganha um joelho quem descobrir de que o tabuleiro tava cheio.

Fiquei puto.

- PÔ COREANA, QUE SACANAGEM! EU TO PERGUNTANDO TEM MÓ TEMPÃO SE VAI SAIR JOELHO E TU FALANDO DE COSSINHA E DE REPENTE SAI O JAPA DA COZINHA COM UM TABULEIRO CHEIO DE JOELHO?!

Ela olhou pra mim dos pés a cabeça e da maneira mais fidaputa-san possível respondeu:

- Ah, agola tem zoelho e cossinha.

Comi a coxinha e fui embora. Os orientais são complicados demais para mim.
Próximo
« Anterior
Anterior
Próximo »

19 comentários

Write comentários
Erosexy
AUTHOR
26 de junho de 2010 22:51 delete

ASUDHIUSAHDIUSAHDIUAHDIUSADHDU

A COREANA DEU UM FATALITY NO AMIGO EHG!!

Reply
avatar
26 de junho de 2010 22:53 delete

NUNCA CANSO DE OUVIR ESSA HISTORIA ADUHSUIDAUIS


AGORA TEM ZOELO E COSSINHA

Reply
avatar
Ingra
AUTHOR
26 de junho de 2010 23:10 delete

É que chinês só entende que é pergunta quando coloca o "né?" no final!!!!!!! AAHAHAHAHAHAHAHAHA

Reply
avatar
Pirata!
AUTHOR
26 de junho de 2010 23:14 delete

haiUHAOIUhaoiuHOIAUHoiau

Fail total xDD

Reply
avatar
Anônimo
AUTHOR
27 de junho de 2010 00:30 delete

HAHAHAHAHHAHA

Da plóxima vez pede o dinhelo de volta.

Reply
avatar
Cesão
AUTHOR
28 de junho de 2010 22:29 delete

UAHUAHUAHAUHAUAUHAUHAUAHUHA

podes crer mané, a coreana!!!
é dificil dialogar com esses orientais, eles tão sempre rindo, nem dá pra saber se tão nervosos os mulambentos

Reply
avatar
Lin
AUTHOR
28 de junho de 2010 23:14 delete

cara, só isso pra m fazer rir hj cara...

Reply
avatar
Soulzin
AUTHOR
28 de junho de 2010 23:43 delete

Se não vai comer, vai embola ! AIHOUAHOIUAHIUAHOUAHOUIA

Reply
avatar
29 de junho de 2010 20:21 delete

poxa, tu escondendo dos seus coleguinhas essa coreana chata! eu comia no safa onça mesmo.. -.-

que bom que tá tudo bem contigo! agora pode postar todo dia pra deixar a gente feliz.. ahahahaha! beijooo

Reply
avatar
ehg
AUTHOR
30 de junho de 2010 00:04 delete

@Fernanda Costantino

Lefligelanto com zoelho era vida depois do CPII, e pode ter certeza que se a gente tivesse mantido contato, vc ia comer lá um dia.
Todo mundo ia lá comer comigo. Agora já era ._.

Reply
avatar
Carolete
AUTHOR
2 de julho de 2010 00:20 delete

isso foi na coreana no caminho da praça maua onde o vitor certa vez comeu um zoelho em duas mordidas? vcs TODO DIA tinha que comer naquela mulher e atrasar a volta pra casa!

se for,vc pediu... vcs atazanavam aquela coreana.
ficavam zoando ela de tudo quanto é forma!
hhahahhahahahaha

Reply
avatar
3 de julho de 2010 02:24 delete

Caracaaaaa!
Você não tem sorte, mas sabe como é: quem é escroto atrai gente escrota. É o jeito da vida ficar "even" com vc. xDDD
Saudades gigantes coisa!
Adoro seus causos!
Beijos!

Reply
avatar
Zélia
AUTHOR
4 de julho de 2010 22:38 delete

nossa!!! muito boa, cuidado com esses orientais,amado, eles são uns perigo...adorei, beijos

Reply
avatar
Danielle Lima
AUTHOR
5 de julho de 2010 20:41 delete

Melhor que vulcão de ovo, né?

Reply
avatar
Luisa.
AUTHOR
6 de julho de 2010 12:22 delete

hahahahahahahaha

cara. por que vc demorou tanto tempo pra perceber que não tinha zoelho, só cossinha? seu bulo!

hahahaha, brincadeira. entendo a tua raiva.
uma cossinha nunca vai ser tão saborosa quanto um zoelho.

ADOREI!

Reply
avatar
Armando
AUTHOR
19 de julho de 2010 13:58 delete

hahahaha me divirto com você! E realmente os asiaticos são problematicos, vide a japinha?! HAHAHA Beijo do amante latino!

Reply
avatar
Marcia Torres
AUTHOR
30 de julho de 2010 12:56 delete

meu querido, o que vc está esperando para escrever um livro!!!???
Beijinhos

Reply
avatar
Pepo
AUTHOR
31 de julho de 2010 01:47 delete

você deu sorte... a unica vez que chamei um estabelecimento comercial de Coréia (porque já tinha um China na mesma rua), quase não sobrevivi pra contar a história. a oriental quase me matou! 'aqui china! lá coléia', 'tá, tia, valeu...'

Reply
avatar
walholl
AUTHOR
4 de agosto de 2010 16:30 delete

Pois é...
VC vai adorar ir na 25 de março comprar com esses chinas loucos!!!

Reply
avatar

Comente sem anarquizar, por favor. Aqui não é casa da mãe Joana. EmoticonEmoticon